Olá pessoal hoje é Quarta Feira, dia do nosso tradicional post, e hoje o Post será bem prático. É uma lista de ideias reformadoras que eu tirei de um post trazido pela Universidade da Califórnia em Los Angeles, e eu que incrementei com ideias minhas ao ler o post. Bom quem trabalha com crianças com desenvolvimento atípico sabe o quanto é difícil muitas vezes conseguir itens que despertem interesse, nas crianças, que as motivem em realizar atividades de aprendizagem então hoje eu vou te ajudar com 25 itens.

  1. Linha aérea de basquete – Coloque a criança em um cesto de roupas e pegue-a, e voe com ela pela casa, como se ela fosse um piloto, com sons e efeitos especiais. Essa só dá para fazer com os pequenos né, porque haja força!!! hehehe
  2. Ataque de Arma – Deixe a criança atirar com armas de brinquedos que saem bolinhas, ou outras coisas em você, corra da criança, deixe que ela te persiga. Pode até mesmo ser uma pistola de água para aquelas crianças que gostam de brincar com água.
  3. Rumo ao Infinito – A criança é o Buzz Lighyear. E depois de levantar a criança para cima e fazer suspense, grite: “Ao infinito” e jogue a criança em cima de uma almofada, cama, algo macio.
  4. “Eu vou comer os seus pés” – Pegue o pé da criança e coloque próximo a sua boca, crie antecipação, diga que irá comer, faça isso repetidas vezes, alterne o tom da voz, expressão corporal, gestos.
  5. Me assusta! Diga: “Faz Assim”, e faça um rugido. Quando a criança fizer, age com medo, assustado, finja desmaiar no chão, tente ações bobas, engraçadas.
  6.  Máquina de Lavar Vibradora – Quando a máquina de lavar estiver funcionando, coloque a criança em cima dela. Imite um barulho de um drone, como se a criança estivesse voando.
  7. O grande fraldão – Segure a criança, nos seus braços, e “mergulhe -a ” para frente, abaixando a criança para o chão. Deixa ela segurar bem forte em você, quanto você mergulha e puxa ela. Finja que vai deixá-la cair, agindo com uma cara assustada como se não conseguisse sugará-la.
  8. Sabão Batido – Deixe a criança decidir quem vai ficar com o spray, com o sabão batido, e brinque com ela para que ela possa te molhar com o sabão ou a algum ambiente.
  9. Caverna do dinossauro assustadora – Construa uma caverna com mesas, cobertores. Sente na caverna para fazer os programas lá, enquanto o pai, ou outra pessoa do lado de fora dá pisadas e faz barulho de dinossauro. O dinossauro começa a abrir a caverna.
  10. Espirro de confete – Coloque confete em uma vasilha rasa e espirre para cair confete por todos os lados.Um reforçador extra pode ser aspirar o confete com um aspirador, claro para aquelas crianças que não tem sensibilidade auditiva.
  11. Me Pegue – Tente guadar os brinquedos, enquanto a criança estiver puxando você pela cintura. Deixe que a criança te puxe e guia seus movimentos pela cintura.
  12. Elogio com Apito – Tente elogiar alguém com um apito na boca, o que te força a simular uma conversa com o apito, ou por exemplo uma língua de sogra, ou outra coisa que seja de pôr na boca e não faça barulho.
  13. Cadeia do Mágico – Faça uma cadeira do mágico, de lençois, e coloque eles na sua manga da roupa. Deixe a criança puxar, até que acaba, com o adulto dramatizando com a criança.
  14. Enrola  com as Mãos – Enrole suas mãos como se ela fosse uma brinquedo, brinque com elas, fazendo efeitos sonoro, depois deixe ela voar em cima da mesa, nas bochechas da criança, em câmera lenta. Enfim deixe a imaginação correr solta.
  15. Zona do Riso – Encoste a sua cabeça no estômago da criança, balançando a sua cabeça de uma menina engraçada. Ao mesmo tempo ria e grite: ” É A ZONA DO RISO”.
  16. Não vamos brincar! Quando você disser a criança vamos brincar, surpreenda ela, puxando ela pelas costas, até você pela camiseta. Faça isso algumas vezes. Geralmente a criança sorri quando você puxa ela pela camiseta. Em alguns momentos faça que vai pegar e não pegue atrase. Já pensou que ao criar essa expectativa uma criança não vocal, pode emitir algum som? Ou aumentar as palavras?
  17. Me diga o que fazer! Modele uma instrução de fazer algo engraçado, bobo, e depois obedeça o que a criança disser para você fazer. Por exemplo dê a instrução:”Fale, ande como um pato”. Quando a criança disser, ande como um pato de maneira exagerada, fazendo sons. Tente outras ações como cair, e etc.
  18. Tickets de Trem – Para uma criança que goste de trens, use um chapéu de condutor, e use tickets como fichas reforçadoras. Imprima tickets com um trem nelas. Depois você pode de fato inventar uma caixa de papel de trem onde ela poderá depois de fazer a atividade dar uma volta.
  19. Acorda!!! Finja dormir no colo da criança, ronque, faça barulhos. E depois acorde e repente fazendo barulho de sino.
  20. Palhaço Emocional – Aja de maneira boba, exagerando as emoções, como por exemplo quando estiver triste, jogue água no seu rosto para parecer lágrimas, ou quando estiver feliz cante e dance uma música.
  21. Chuva de Papel no Copo – Faça buracos em um copo de papelão, plástico, . Depois sente o pai, ou a mãe em uma cadeira e jogue  um pouquinho de água no copo, advinha vai molhar quem?
  22. Mantenha meus braços para baixo – Coloque um dos seus braços pra cima, e quando a criança puxar para baixo faça um barulho como se tivesse rangendo, e levante o outro braço. Se a criança tentar abaixar os dois, levante os pés.
  23. Spray de caixa de leite! Faça buracos na caixa de leite, e coloque água dentro, até que forme uma chuva.
  24. Onde está a minha mão! Diga “Mostra o 5” mas deixa escorregar a sua mão, e peça a criança para te ajudar a achar sua mão, e aí você começa a perder a outra mão, deixando-a escorregar.
  25. Pra cima!!! Jogue o balão para cima, e coopere com a criança para que o balão se mantenha em cima.

 

Bom pessoal estas foram as dicas de hoje, como vocês viram brincadeiras mais corporais, de interação são ótimas para estabelecer o primeiro contato com a criança, fazer o vínculo, fazer o que chamamos de “pairing” parear você enquanto terapeuta, professor com atividades legais, com coisas prazeirosas. Para só depois pensar em demandas. Até mesmo para começar um processo de avaliação é necessário esse procedimento, para só depois querer avaliar e dar algum tipo de demanda!!!

Bom pessoal ABA é muito mais que treino de mesinha, e com certeza não preza de nenhuma maneira em usar procedimentos aversivos, nem punitivos, nem muito menos serem rígidos e ríspidos com a criança. Muito pelo contrário trabalhamos sempre com reforços, itens e atividades que motivem a criança a aprender e a querer estar conosco em um momento de aprendizado.

Ah e para fechar o Post temos novidades: INSCRIÇÕES VB-MAPP E ABA É PRA MIM? ABERTAS!!!  Acesse Agora

Grande Abraço,

Michelli Freitas.

Psicopedagoga/Mestranda em Ciências do Comportamento – UNB

Deixe uma resposta