servico de excelencia

Oie Pessoal, hoje é 4 Feira é dia de Post no Blog…E depois do Post de semana passada eu recebi muitos e-mails, muitas mensagens, com as pessoas me perguntando Como encontrar uma intervenção de qualidade, como saber se os serviços que eu como Pai, Mãe, família estou pagando dentro da Intervenção ABA são de fato de qualidade? Os pais dizem o seguinte: “Eu não entendo do assunto, não me sinto confiante para separar o joio do trigo, como saber se a intervenção está legal?Ou se minha “Paranoia” de Pai ou Mãe( simmmm…nós ficamos paranoicos, e ás vezes cobramos demais, passamos do ponto)…Está falando mais alto? Mas e aí como solucionar esse impasse???

pessoas de cabelo em pé

Então na tentativa de ajudar um pouquinho, essas famílias eu quis escrever esse post de hoje, então Vamos Lá??? Papel e Caneta na mão, e vamos tomar nota:

  1. Acessar a Plataforma Lattes para checar o currículo do Profissional que você está contratando, e digo toda a equipe, e não só o “cabeça” da equipe, porque de quê adianta um cabeça com um currículo das estrelas, se esse “cabeça só vê a sua criança 1x na semana e olhe lá, ou não participa ativamente nos desdobramentos da intervenção??? É nessa plataforma que as pessoas que estão no meio acadêmico cadastram seus currículos, suas experiências profissionais, então lá é um bom começo. Você só precisa do nome completo do profissional.Abaixo o link de acesso:

Acesso Plataforma Lattes

2. Depois de checar as qualificações do currículo do seu profissional, você irá olhar os cursos que ele fez, e buscar encontrar as disciplinas que esse profissional cursou, entrando nos sites das universidades que ele fez seus cursos, pois somente o nome de um curso não diz muito sobre o que essa pessoa estudou? Já falamos no Post Anterior sobre o Psicólogo Comportamental Posso “fazer” ABA??? Se o seu profissional é Mestre, você olha o nome do Mestrado dele, e o que ele pesquisou? Pois se ele dedicou 2 anos para o estudo de algo que pouco acrescentou teoricamente para sua prática de que adianta um diploma de mestrado ou doutorado? Sacou???

3. Como o profissional te recebeu no primeiro encontro? Qual o esboço do trabalho dele? Ele traçou uma linha de trabalho? Passou para você? Qual avaliação ele irá realizar? Dentro da Análise do Comportamento, todos usamos Protocolos de Avaliação (Vb-Mapp, ABBLS, AFFLS, PEAK, ESDM) e aí qual ele usa? Porquê ele escolheu esse Protocolo? Te explicou o Protocolo? Como será o cronograma de trabalho? Fará em quantas sessões? De que forma? Irá na escola para completar a avaliação? Irá no ambiente natural da criança para fazer a avaliação? A avaliação é o primeiro passo de uma intervenção de qualidade, não tem essa história de a criança não tem repertório nenhum, não preciso avaliar, ou fica com você, por 2 sessões e chega com uma pasta de programas. AVALIAR com protocolos é o usado nos EUA, e mesmo os BCBAs (Analista do Comportamento dos EUA, que passaram por uma avaliação extensa) utilizam, então não tem esse papo de “Já Tenho experiência, não preciso utilizar”.

Abaixo alguns  Trechos do Código de Ética do Analista do Comportamento (BCBA, usados nos EUA) não é válido no Brasil juridicamente. Entretanto, é preciso ver que os EUA são referência em serviços em Análise do Comportamento, portanto que sirva de modelo pra gente ok?

3.1. Avaliação Analítico-Comportamental RBT
(a) Analistas do comportamento administram avaliações antes de fazer recomendações ou desenvolver
programas de modificação de comportamento. O tipo de avaliação utilizado é determinado pelas
necessidades e autorização do cliente, parâmetros ambientais e outras variáveis contextuais. Quando
analistas do comportamento estão desenvolvendo um programa de redução de comportamento, eles
devem primeiro conduzir uma avaliação funcional.
(b) Analistas do comportamento têm obrigação de coletar e apresentar dados visualmente, utilizando
convenções analítico-comportamentais, de maneira a permitir decisões e recomendações para o
desenvolvimento de programa de mudança de comportamento.

 

4. O profissional fez a avaliação, é hora de passar o relatório para a família, além do relatório, mostrar seu gráfico, pois essas avaliações costumam ter gráficos onde jogamos os dados. É necessário uma sessão de devolutiva, de pelo menos 2 horas com a família para explicar a avaliação e mostrar o Plano de Ensino Individualizado (o local onde terá os objetivos de ensino para esta criança com base na avaliação, e os programas de ensino, como irei ensinar os objetivos de ensino para a criança?).

4.5. Descrevendo Objetivos de Programas de Modificação do Comportamento
Analistas do comportamento descrevem, por escrito, os objetivos do programa de modificação do
comportamento para o cliente antes de tentar implementar o programa. Na maneira do possível, uma
análise do risco-benefício deve ser conduzida nos procedimentos a serem implementados para atingir os
objetivos. A descrição dos objetivos do programa e os meios pelos quais eles serão atingidos são um
processo contínuo ao longo da duração da relação cliente-profissional.

5. Como o profissional registra os dados? Ou seja ele fez os programas de ensino, é necessário registrar os dados desses programas para saber se esta criança está evoluindo ou não, se não está algo precisa ser mudado…Como ele registra: numa planilha no Excel? Utiliza o Google Drive para compartilhar com toda equipe e família? Registra em Folhas de Papel? Ou já faz usa de Plataformas de Registro de Dados como o Catalyst Acesse Aqui e Conheça. Ter dados é a base da intervenção ABA de qualidade, se não está havendo registros, e MAIS que isso ACOMPANHAMENTO desses registros, isso não é Intervenção ABA, Ok? Isso precisa ficar muito claro… E eu vou mais além, estes dados DEVEM ser compartilhados com a família, eles devem ter acesso a tudo isso, acho essa é uma maneira muito segura para Profissional e Família nesta relação.

parceria

6. Seu profissional esconde o Plano de Ensino Individualizado, esconde relatórios, avaliações, dados, quer manter tudo só para ele, não compartilha com a equipe, e nem com os pais, as informações. Se a intervenção é em casa, ele sempre leva ou manda seus assistentes levarem a pasta de programas da criança. Sabe o que você deve fazer? DISPENSAR ele, HOJE MESMO… Isso é FURADA…Não existe isso no mundo de hoje, é seu direito enquanto Família ter todo o acesso esses materiais. Eles são da criança e não do profissional, você família pagou por isso, Ok? Tenha isso em mente.

esconder documentos

7. O seu profissional só fala com você em termos técnicos, você começa a falar com ele, e não entende nada, pois são tantos termos técnicos que você DESISTE, e o tempo vai passando, e você não questiona, pois toda vez que tenta ele vem com coisas muito complexas, e você acha que isso é demais para a sua cabeça, afinal ele ou ela que é o Doutor ou Doutora, sabe o que faz e o que fala? Certo??? SQN (Só que Não) Ok?

Mais um TRECHO do Código de Ética da BACB (Behavior Analysis Certification Board – Certificação de Análise do Comportamento):

3.4. Explicando Resultados de Avaliação
Analistas do comportamento explicam resultados de avaliação utilizando linguagem e apresentação
gráfica dos dados que sejam razoavelmente compreensíveis pelo cliente.

Bom espero que estas informações tenham sido úteis para vocês, e eu convido a todos, que baixem em seu computador o Código de Ética Completo, analisem, e reflitam de acordo com a situação vivida por cada um de vocês. O código não possui validade jurídica no nosso país como já disse acima, porém aqui não estamos preocupados com processos, leis, e arsenal jurídico. E sim com RESULTADOS da intervenção, economia de tempo e dinheiro, e maior tranquilidade possível a família que possa estar segura com os serviços recebidos pelos seus filhos, ou familiares.

Acesse o Código de Ética Aqui

Um Grande Abraço a vocês,

Até a Próxima Quarta Feiras ás 19:00.

Michelli Freitas.

Psicopedagoga Clínica/ Mestranda em Análise do Comportamento – UNB.

2 Comentários

  1. Explicaçao sucinta e super coerente para nós pais. Meu filho fez 3 aninhos agora e resolvi procurar um profissional com Aba pois estou tendo duvidas sobre a eficacia do tratamento com os profissionais atuais que nao utilizam o Aba. Vou levar muito em conta suas recomendaçoes. Voce pode me responder o que faz o profissinal optar pelo tratamento com Aba na criança? Pergunto pq ate o momento os terapeutas atuais dizem nao ver necessidade e sinto que é por puro desconhecimento da tecnica. Bjs e obrigada por compartilhar conhecimento.

Deixe uma resposta