Bom já que hoje dia 12 de Novembro dia do Psicopedagogo, eu vim fazer um post de última hora, para contar um pouco sobre essa profissão ainda pouco conhecida a grosso modo e que é tão importante.Bom vou trazer para vocês a definição que consta lá no site da Associação Brasileira de Psicopedagogia:

“A Psicopedagogia é a área de conhecimento, atuação e pesquisa que lida com o processo de aprendizagem humana, visando o apoio aos indivíduos e aos grupos envolvidos neste processo, na perspectiva da diversidade e da inclusão.A Associação Brasileira de Psicopedagogia (ABPp), como órgão representativo dos psicopedagogos, entende que o curso de Psicopedagogia deve formar profissionais para garantir a aprendizagem como direito de todos.”

Bom então o Psicopedagogo, ele busca entender como o ser humano aprende, e para isso ele preciso recorrer a outras áreas do conhecimento, para assim formular um conhecimento próprio e poder ajudar aquele que está com dificuldades no processo de aprendizagem, podendo atuar não só no campo clínico, bem como institucional.

A formação do Psicopedagogo no Brasil pode vir a nível de Graduação (o que ainda não é comum, somente 2 universidades possuem Psicopedagogia como curso de graduação), ou Pós Graduação podendo ser essa Lato Sensu (Especialização) ou Strictu Sensu ( Mestrado Profissional).A nível de pós graduação portanto, qualquer pessoa com curso superior poderá ingressar num curso de pós graduação pela maioria das universidades. É importante salientar que a profissão ainda não foi regulamentada e que o projeto de lei para a sua regulamentação está em vigor desde 2008 (PL 3512/2008)  e está aguardando apreciação do Senado Federal. No projeto de lei que cito abaixo existem já proposto aqueles que podem se tornar Psicopedagogos:

Art. 2º Poderão exercer a atividade de Psicopedagogia no País: I – os portadores de diploma em curso de graduação em Psicopedagogia expedido por escolas ou instituições devidamente autorizadas ou credenciadas nos termos da legislação pertinente; II – os portadores de diploma em Psicologia, Pedagogia ou Licenciatura que tenham concluído curso de especialização em Psicopedagogia, com duração mínima de 600 horas e carga horária de 80% na especialidade. III – os portadores de diploma de curso superior que já venham exercendo ou tenham exercido, comprovadamente, atividades profissionais de Psicopedagogia em entidade pública ou privada, até a data de publicação desta Lei.

Portanto, aqueles que já exercem a Psicopedagogia estarão garantidos no exercício da profissão permanecem com seus direitos garantidos, mesmo que não atendam as exigências do artigo inciso I e II.

Bom saindo dos termos legais e burocráticos, na minha opinião o mais importante num país em que temos tantos problemas educacionais, e um ensino tão falho, o mais importante é ver O QUE ESSE PROFISSIONAL IRÁ DE FATO FAZER? ELE DEMONSTRA CONHECIMENTO NA SUA PRÁTICA DIÁRIA? SEU TRABALHO SURTE EFEITOS? SEUS ARGUMENTOS SÃO SÓLIDOS E BASEADOS EM PESQUISAS? Bom muito mais importante que diplomas na parede, é sua prática, o que ele faz dia após dia nas suas intervenções.

Eu sou á favor que a profissão viesse por meio de um curso de Graduação, o qual seria mais extenso, e poderia ter uma grade que englobasse todas as matérias concernentes á aprendizagem humana, desenvolvimento infantil, aspectos neurológicos, motores e tudo que ajudasse na aprendizagem e desenvolvimento do ser humano. Porém como disse acima a educação em nosso país é falha, e nosso país precisa de profissionais que atuam com os problemas de aprendizagem. Então o que vai te diferenciar você profissional? O que difere os homens dos meninos na prática Psicopedagógica? A SUA BUSCA PELO CONHECIMENTO, O SEU ESTUDO. SIMPLES ASSIM.

O Psicopedagogo atua identificando os problemas de aprendizagem, e tentando buscar as suas razões, mas acima de tudo ela precisa solucionar esses problemas e trazer esse aluno para uma zona A de desenvolvimento dos seus saberes, zona A no sentido dele com ele mesmo, e não muitas vezes dele com seus pares (mas claro tendo em vista a média para sua faixa etária). O trabalho dele vai além da sala de aula, pois atua de um para um, em ambiente próprio, adequado para o trabalho individualizado e pormenorizado na busca por sanar as barreiras de aprendizagem do aluno.

Deixe uma resposta